construção narrativa por processos gráficos / visuais

Guilherme Ranoya

Universidade Federal de Pernambuco | UFPE

800m

Nasceu e viveu 40
anos em São Paulo, na Vila Madalena, sempre dentro de um raio de 800 metros do Empanadas

Em decorrência da grande crise cognitiva mundial, emigrou.

...para o Recife.
Que já é muita coisa pra quem nunca saiu do próprio bairro.

Foi responsável ao longo de 7 anos pelo 360 da Tortuga Studios

Arquiteto formado pelo Mackenzie
Mestre e Doutor em Meios e Processos Audiovisuais pela ECA/USP

Professor adjunto do curso de bacharelado e do programa de pós-graduação em Design da UFPE

Orienta dissertações e teses sobre Design de Entretenimento & Ludicidade dentro da linha de pesquisa em Emoção, Estética e Design de Informação

Leciona duas disciplinas de graduação voltadas para o design de artefatos narrativos:
Artefatos Narrativos Digitais
HQ Impresso e Digital


Leciona sobre User Experience Writing (UX Writing) em parte de sua disciplina de pós-graduação


Artefatos Narrativos Digitais
HQ Impresso e Digital

Excentricidades do bacharelado de Design da Universidade Federal de Pernambuco:

A rede elétrica é 220V
O curso é inteiro formado por disciplinas optativas

 

 

Cada professor leciona 4 disciplinas diferentes sobre os assuntos que lhes interessam

+

Prof. Luciano Meira

Design de Artefatos Narrativos

Anos de trabalho de pesquisa e extensão embasados na Teoria da Atividade de Engeström (com base em Vygotsky e Leontiev)

Ênfase nos últimos anos em ações para o ensino escolar com produção narrativa
Foi diretor da TV Universitária da UFPE

Prof. Silvio Campello

Departamento de Psicologia

Projeto de Inovação

Estudos e métodos narrativos que não vêm da área de cinema, nem de comunicação

Conflito?

Artefatos Narrativos
Literatura de cordel
Livros infantis

Prof. Silvio Campello

Método
Construção oral
Construção por tabuleiro e cartas

Prof. Guilherme Ranoya

HQ Impresso e Digital
Tradução de narrativa para HQ
Criação de nova HQ impressa
Protótipo de versão digital

Método
Construção gráfica
(desenho não-instumentado)
Roteiros usados apenas para organizar o trabalho de finalização

Método
Trabalho
Experimental?

Ou a difícil arte de pensar com a linguagem não-verbal?

O design [ou o designer] tem sua própria maneira de fazer as coisas

design thinking


user centered design

aplicação do modus operandi do projeto de design em outras áreas, para inovação
é basicamente fazer algo, como um designer o faria

metodologia de projeto que trabalha com prototipagem rápida e envolvimento do público alvo no processo de elaboração do artefato




a mídia produz resultados diferentes sobre a mesma narrativa


 

Referências

Resultados

COM 1 MÊS DE TRABALHO

Obrigado

2017, PROF. DR. GUILHERME RANOYA

©

roteiristas2018

By Guilherme Ranoya

roteiristas2018

Apresentação para palestra no seminário de roteiristas, Mackenzie 2018

  • 101
Loading comments...

More from Guilherme Ranoya