https://narrativas.ranoya.com

audiovisual

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

transmídia

jogos

7ch5JsC
TURMA/CLASSRROM

ESTÉTICA
EIXO

AVANÇADO
NÍVEL

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

dataviz

https://narrativas.ranoya.com

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

audiovisual

transmídia

jogos

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

dataviz

https://narrativas.ranoya.com

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

audiovisual

transmídia

jogos

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

dataviz

editorial, hq

&

artefatos

digitais

https://narrativas.ranoya.com

narrativos

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

audiovisual

transmídia

jogos

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

Qual a transformação que o dataviz traz para a construção do sentido no consumo da informação?

dataviz

O primeiro gráfico de área polar, elaborado por Florence Nightingale em 1858, foi criado para dramatizar a extensão de mortes desnecessárias na Guerra da Criméria

editorial, hq

&

artefatos

digitais

https://narrativas.ranoya.com

narrativos

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

audiovisual

transmídia

jogos

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

Qual a transformação que o dataviz traz para a construção do sentido no consumo da informação?

dataviz

editorial, hq

&

artefatos

digitais

https://narrativas.ranoya.com

narrativos

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

audiovisual

jogos

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

dataviz

14.000.000,00

52.000.000,00

1992 - 1996

1999 - 2008

Investimentos durante período de regulamentação

Investimentos durante período de desregulamentação

10.000.000,00

20.000.000,00

30.000.000,00

40.000.000,00

50.000.000,00

exemplo reformulado a partir do caso apresentado por Alberto Cairo em "The Truthful Art"

&

artefatos

https://narrativas.ranoya.com

narrativos

contexto

interface

experiência

arquitetura

convergências

audiovisual

Dados já são um recorte bastante filtrado da realidade, obtidos através de uma interpretação feita por alguém do que é relevante registrar

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

dataviz

14.000.000,00

52.000.000,00

1992 - 1996

1999 - 2008

Investimentos durante período de regulamentação

Investimentos durante período de desregulamentação

10.000.000,00

20.000.000,00

30.000.000,00

40.000.000,00

50.000.000,00

1997 - 1998

?

https://narrativas.ranoya.com

Todo dado já contém "bias" (viés) de forma inerente

Dados não são neutros, e seu viés se fará sempre presente

Para se dar visualidade aos dados, e moldá-los para instituir sentido, é necessário tratá-los de forma crítica

14.000.000,00

52.000.000,00

1992 - 1996

1999 - 2008

Investimentos durante período de regulamentação

Investimentos durante período de desregulamentação

10.000.000,00

20.000.000,00

30.000.000,00

40.000.000,00

50.000.000,00

1997 - 1998

?

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2.000.000,00

4.000.000,00

6.000.000,00

8.000.000,00

10.000.000,00

14.000.000,00

52.000.000,00

1992 - 1996

1999 - 2008

Investimentos durante período de regulamentação

Investimentos durante período de desregulamentação

10.000.000,00

20.000.000,00

30.000.000,00

40.000.000,00

50.000.000,00

1997 - 1998

?

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2.000.000,00

4.000.000,00

6.000.000,00

8.000.000,00

10.000.000,00

Dados são um artefato humano. Dados são construídos, e não algo que nos é entregue.

JER THORP

 

Living in data

14.000.000,00

52.000.000,00

1992 - 1996

1999 - 2008

Investimentos durante período de regulamentação

Investimentos durante período de desregulamentação

10.000.000,00

20.000.000,00

30.000.000,00

40.000.000,00

50.000.000,00

1997 - 1998

?

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2.000.000,00

4.000.000,00

6.000.000,00

8.000.000,00

10.000.000,00

Dados são um artefato humano. Dados são construídos, e não algo que nos é entregue.

JER THORP

 

Living in data

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

Qual a transformação que o dataviz traz para a construção do sentido no consumo da informação?

Construção do sentido a partir da exploração e simulação com a informação

seamless

ARTEFATOS NARRATIVOS

ARTEFATOS DIGITAIS

DOIS

Qual a transformação que o dataviz traz para a construção do sentido no consumo da informação?

Construção do sentido a partir da exploração e simulação com a informação

mas a função do infodesigner é ilustrar uma informação / mensagem que alguém quer comunicar, ou é criar um conteúdo de comunicação?

a função do infodesigner é permitir que as pessoas construam, por si mesmas, significação à partir das informações disponíveis, da forma mais abrangente

mas a função do infodesigner é ilustrar uma informação / mensagem que alguém quer comunicar, ou é criar um conteúdo de comunicação?

a função do infodesigner é permitir que as pessoas construam, por si mesmas, significação à partir das informações disponíveis, da forma mais abrangente

a informação
é sempre polissêmica (possui muitos significados)

mas a função do infodesigner é ilustrar uma informação / mensagem que alguém quer comunicar, ou é criar um conteúdo de comunicação?

a função do infodesigner é permitir que as pessoas construam, por si mesmas, significação à partir das informações disponíveis, da forma mais abrangente

a informação
é sempre polissêmica (possui muitos significados)

portanto, o trabalho do infodesigner não é nem ilustrar uma mensagem pronta, nem criar um 'conteúdo'.

é criar meios para que as pessoas explorem e formulem seus próprios sentidos

mas a função do infodesigner é ilustrar uma informação / mensagem que alguém quer comunicar, ou é criar um conteúdo de comunicação?

a função do infodesigner é permitir que as pessoas construam, por si mesmas, significação à partir das informações disponíveis, da forma mais abrangente

a informação
é sempre polissêmica (possui muitos significados)

portanto, o trabalho do infodesigner não é nem ilustrar uma mensagem pronta, nem criar um 'conteúdo'.

é criar meios para que as pessoas explorem e formulem seus próprios sentidos

DADOS

Computer-based visualization (vis) systems provide visual representations of datasets designed to help people carry out tasks more effectively. Visualization is suitable when there is a need to augment human capabilities rather than replace people with computational decision-making methods.

TAMARA MUNZNER

University of British Columbia 

Sistemas de visualização computacional (vis) provém representações visuais para conjuntos de dados, projetadas para auxiliar as pessoas a realizarem tarefas de forma mais efetiva. Visualizações são adequadas quando há necessidade de ampliar as capacidades humanas ao invés de substituir as pessoas por métodos de decisão realizados por máquinas.

visualização "surge" com o problema literal de ver os dados armazenados em um banco de dados

tratamos apenas por "visualização", mas o objeto que tratamos, de fato, quando abordamos o assunto, é a "visualização computacional"

TAMARA MUNZNER

University of British Columbia 

Sistemas de visualização computacional (vis) provém representações visuais para conjuntos de dados, projetadas para auxiliar as pessoas a realizarem tarefas de forma mais efetiva. Visualizações são adequadas quando há necessidade de ampliar as capacidades humanas ao invés de substituir as pessoas por métodos de decisão realizados por máquinas.

Computer-based visualization (vis) systems provide visual representations of datasets designed to help people carry out tasks more effectively. Visualization is suitable when there is a need to augment human capabilities rather than replace people with computational decision-making methods.

visualização "surge" com o problema literal de ver os dados armazenados em um banco de dados

tratamos apenas por "visualização", mas o objeto que tratamos, de fato, quando abordamos o assunto, é a "visualização computacional"

BD (TERMINAL)

BD (PHPMYADMIN)

BD (PLANILHA)

BD (DATAVIZ)

DADOS EM PLANILHAS

(EM TEMPO-REAL)

DADOS EM JSON

(EM TEMPO-REAL)

VISUALIZAÇÃO

DADOS TABELADOS

DADOS VISUAIS >

Os dados e o dataset são o coração de qualquer artefato de dataviz. A configuração visual da visualização já está estruturada (e limitada) pelo que está presente no dataset

Elaborar um bom dataset, bons critérios e aspectos a serem registrados, e boas categorias e taxonomias, é 50% de uma boa visualização

conjunto de dados estruturados em forma de tabelas e seus relacionamentos/conexões

DATAVIZ

DAVID CARSON