audiovisual

contexto

interface

experiência

narrativa

informação

visual

arquitetura

editorial

mídiatico

conteúdo

verbal

convergências

seamless

multimídia

digital

transmídia

jogos

7ch5JsC
TURMA/CLASSRROM

ESTÉTICA
EIXO

AVANÇADO
NÍVEL

A primeira coisa que precisamos entender sobre a ciência de dados é que eles não são a representação fiel da realidade

da produção         
digital do editorial

ao editorial
              digital

desktop publishing

design editorial

A indústria editorial passou por uma revolução no meio da década de 80.

 

Os artefatos editoriais cotidianos, produzidos em grande parte pelo mercado corporativo, começaram a ser produzidos com computadores pessoais (desktops), e não mais "à mão", como se fazia até então.

primeiras ferramentas de diagramação editorial

editoração

Xerox Ventura Publisher

1986

Aldus / Adobe Pagemaker

1986

QuarkXPress

1987

Claris Works

1993

a edição do texto

a construção verbal

WordPerfect

1993

Microsoft Word 1.15

1983

editoração digital de fotografia e imagens bitmap

a construção pictórica

Adobe Photoshop 0.63

1988

editoração digital de diagramas e imagens vetoriais

a construção esquemática

Micrografx PC-Draw

1982

Adobe Illustrator

1987

Aldus / Macromedia Freehand

1988

Micrografx Designer

1990

a construção esquemática dos gráficos estatísticos

business graphics

Um dos grandes motivos para a introdução da computação pessoal no mundo corporativo foi a visualização de dados.

 

As corporações consideravam importante que os registros e dados estatísticos pudessem ser vistos graficamente, para que pudessem ser melhor compreendidos.

 

A construção gráfica destas visualizações passa a ser objeto do design da informação, e elemento importante dentro do editorial, também construído digitalmente.

Inicialmente, a produção destes elementos se destinava à comunicação direta, sem interações materiais ou simulações com a informação.

 

Eram construídos para apresentação da informação  (presentation software) durante reuniões, em forma de slides fotográficos projetados, ou através de materiais impressos.

 

Somente na década de 90 este material passou a ser construído para ser também usado no próprio computador, através de produtos de autoração multimídia.

ferramentas de construção de charts e apresentações

Lotus 1-2-3

1983

PSF: Graph

1983

Microsoft Chart

1983

Microsoft Chart 1.01

1984

Chart Master

1985

PC Storyboard

1985

PC Illustrator

1985

Harvard Presentation Graphics

1985

Freelance Graphics

1985

Freelance Graphics

1985

Freelance Graphics

1985

Lotus Freelance Graphics

1991

Quattro Pro

1987

Windows Graph

1987

Boeing Graph

1987

Ashton-Tate Applause

1987

Criket Graph

1991

WordPerfect / Corel Presentations

1992

Presentation Express

1992

das ferramentas de apresentação ao editorial digital

new media

Das ferramentas de apresentação da informação nasce, progressivamente, uma nova mídia voltada ao uso no próprio computador.

 

Conhecida inicialmente como new media, este foi o início do que depois ficou conhecido como multimídia, geralmente através de autoração de cd-roms, e hoje, depois da internet e dos browsers, tratamos apenas como editorial digital.

Forethought PowerPoint 1.0 / Microsoft PowerPoint 2.0

1987 / 1990

Micrografx Charisma

1993

Micrografx Charisma

1993

Asymetrix Toolbook

1989

Microsoft Home - The Ultimate Frank Lloyd Wright America's Architect

1995

Produtos Multimídia (cd-rom)